pulgas-de-fino-trato2_NOVO

 

Diz-se que o termo “mercado de pulgas” vem do francês “marché aux puces”, bazar ao ar livre surgido em meados de 1860, no subúrbio norte de Paris. O nome remete ao abundante vestuário de segunda mão à venda no local e sua inevitável infestação pelos miúdos e incômodos parasitas da ordem Siphonaptera.

Apesar da origem do termo ser muitas vezes questionada, esses mercados de rua, hoje espalhados por todo o mundo com diferentes nomes, formatos e tamanhos, são uma unanimidade quando se trata de “garimpar” objetos interessantes e raros por ótimos preços.

Mesmo que mais recentemente tenham sido, em grande parte, invadidos pela safra de produtos chineses descartáveis, ou que os artigos encontrados possuam muitas vezes procedência duvidosa, a visita a um desses paraísos da barganha em qualquer cidade do mundo é uma experiência imperdível. Não somente para adquirir peças únicas como objetos, móveis, roupas, obras de arte, ou experimentar novos sabores locais, mas principalmente pela rica possibilidade de encontro com diferentes culturas e variadas épocas, em um ambiente quase sempre caótico.

O fato é que os “flea markets” são um prato cheio para qualquer gambiólogo que se preze. Facta resolveu então convocar quinze colaboradores em diferentes cidades do mundo para uma missão: ir ao seu mercado predileto, documentá-lo fotograficamente, adquirir um objeto curioso (o mais barato possível) e levá-lo para casa como recordação. Confira as diferentes respostas ao nosso desafio.

 

Daniel Ribão • Lisboa, Portugal

“Eis-me aqui, gambiologizando! Dei algumas voltas pela Feira da Ladra nos últimos dias, em outros dias choveu. Aqui em casa, fiz um bestiário gambiológico. Diz lá se Jean Baptiste Gambièrre ficou satisfeito.”

Adauany Zimovski • Porto Alegre, Brasil

“Olha que eu me contive, cada vez q vou no Brique saio com uns dinheiros a menos no bolso…. Tb comprei uns copos um outro dia q fui, livros, revista velha, etc. Mas essa pintura eu adorei, primeiro pq eu trabalho com paisagem e pq tava um clima muito do bizarro aqui o dia q fui, pq foi o domingo seguinte à tragédia de Santa Maria. E o nome do quadro é “Silêncio Noturno”!! Pra mim soou mórbido e bonito ao mesmo tempo.”

 

Paulo Barcelos • Estocolmo, Suécia

“Acabei comprando um minigame retrô do Space Invaders. Feito no Japão, com joystick analógico e um display com luz azulada. Não saiu tão baratinho, pois o Thasan, dono da barraca, era um mala… Mas eu curti tanto que não resisti :). Custou SEK 80 (deve dar uns 20 reais), incluindo um pacote com 4 baterias AA novas.”

 

Zedu Carvalho • Salvador, Brasil

“Seguem as fotos lá do Cabral Descobertas. Nem deletei as que estão ruins. Meu cartão de memória está com problema, foi um parto para extrair as fotos. Desculpe o atraso. Escolha e trato a luz, as cores etc. Abs.”

 

Zoe Clayton • Londres, Reino Unido 

“These ones are of my local market in Elephant and Castle. It is one of the oldest street markets in London- it started as a market in the 16th century. On Sunday they have ‘antiques’, which means cheap 1970s knick knacks and ornamental plates. I love cheap 1950s and 1960s science fiction and have quite a collection now, most of which I bought for 10p each. The cover art is worth that alone!”

 

Evan Roth • Paris, França

“I have my homework assignment ready! As far as I know it’s the largest market in Paris. The piece I ended up buying (for 5 euros) is for blowing bubbles, haha. Thanks for the invitation to participate, it was fun. Please let me know how the magazine comes out, I look forward to seeing it.”

 

Mariana Pinheiro • Rio de Janeiro, Brasil 

“As fotos custaram 10 reais todas, sendo que a das gatas de maiô era a mais cara e o vendedor fez um pacote promocional. Acho que vou mandá-las em cartas escritas no papel para uns amigos e familiares, descrevendo como se fossem retratos do nosso passado.”

 

Simone Pazzini • Cidade do México 

“Eu acabei indo no Mercado da Lagunilla que é o mais famosão mesmo, o que era mais longe e mais toscão, ficou difícil, porque não tive companhia no dia e lá é perigoso ir sozinha, ainda mais com câmera. O objeto que escolhi comprar no dia, tbm queria mandar pros “gambiólogos” porque se trata de uma mão mecânica, que nela mesma encontrei uma pequena gambi já que não funciona… Beijo e saludos desde el Valle de Mexico.”

0lagunilltianguis

 

 

Janina Pessoa • Montreal, Canadá 

“O objeto que eu escolhi me chamou atenção por ser uma das coisas mais kitschy que eu já vi na vida. E não! Il n’est pas une pipe. É um after shave. Dentro da cabeça do Tio Sam ainda tem a loção pós barba rsrs. Espero que as fotos funcionem! Custou $9.00. O dono do lugar ficou todo feliz!”

 

Felipe Rocha • Padova, Itália 

“Opa, demorou mas chegou. Eu comprei esse cobertor térmico pra gatos (?) e foi tipo 5 euros rs. Acabei indo não no mercado de Treviso, mas um que tem perto de Padova e é muito mais legal. PS: semana passada conheci uma menina do Havaí que conhece a Gambiologia! ”

 

Bárbara Soalheiro • São Paulo, Brasil

“CARA, UM MILHÃO E MEIO DE PERDÕES. É assim: eu fui na feira do Bixiga. Fiz as fotos. Comprei meu castiçal lindo. Só não te mandei e não te mandei e não te mandei… Li seu email num corre louco. Enfim, parando tudo agora, nesse instante. Mas olha, não é falta de amor ou dedicação meu pouco talento para fotos ok? Não mesmo!”

 

Eduardo Imasaka • Buenos Aires, Argentina 

“Perdona, estoy ‘orbitando’ con mucho trabajo y movimiento estos meses. Finalmente nada compre, los vendedores estan ausentes y son dificiles de convencer…Ellos quieren vender a turistas, los porteños no. Pero te saque varias fotos a objetos que deseo pero no pago ese precio por ellos.”

 

Ângelo Abu • Atenas, Grécia 

“Fiz umas fotos incríveis hj em um mercado de pulgas de Athenas. Estou saindo pra Creta, qdo chegar eu te mando, amanhã. Mesmo n sendo + p a revista. Composições incríveis de trecos. Comprei nada não pq achei q o prazo estava vencido. Mas te envio anyway algumas delas… Abraço!”

 

Lucas Resende • Nova Iorque, EUA

“Foi mal a demora. As fotos eu não gostei, now it’s up to you. O mercado é esse aqui: www.brooklynflea.com/markets/williamsburg/. O livro se chama ‘Have I ever lied to you?’ e tem um relógio adaptado. Gostei da capa tipo Tio Sam que sempre mente, mas faz propaganda que não. E o tempo, que nunca mente. Fica a pergunta…” 

 

Giuliano Obici • Berlim, Alemanha 

“Comprei um Kreisel-Peão. Porém esse peão tem a capacidade por as cobras pra dançarem, ou encantar as serpentes, como diz na caixa do brinquedo. Comprado no Flohmarket do Mauerpark Berlin, 27 Jan 2013. Custou 3,5 euros. Olha só: Fiz os videos e depois saquei que a bateria da câmera estava fraca. Sei lá, dá pra ter pelo menos uma ideia de como funciona.”